Mola ou Espuma? O que é melhor?

Antes de escolher o seu colchão, você precisa entender a diferença entre mola e espuma. Para acabar com sua dúvida e esclarecer as características, vantagens e desvantagens de cada uma das opções, decidimos fazer esse post. Confira abaixo e finalmente, decida-se.

Vamos analisar colchões feitos de mola e os fabricados com espuma. Mas, antes vejamos algumas explicações sobre as diferenças básicas de um e do outro e ao final deste texto você poderá ter uma ideia melhor para escolher o que se adequa à sua necessidade.


Durabilidade

Um colchão de espuma de alta densidade, dura em média 2 a 3 anos. Após esse período, ele vai apresentar sinais de uso e deverá ser substituído, ou seu corpo começará a sofrer as consequências da deformação da espuma.


Já o colchão de molas tem uma durabilidade maior. Em geral, eles duram no mínimo 5 anos, podendo chegar até a 8 ou 10 anos, dependendo das condições de uso, ainda que não seja o recomendado por muitos fabricantes.


Conforto

Os colchões de espuma são categorizados em uma escala de densidade, de acordo com o peso dos usuários. Veja:


  • Crianças até 3 anos: D18

  • Pessoas com até 60 kg: D23

  • Pessoas com até 80 kg: D28

  • Pessoas com até 100 kg: D33

  • Pessoas com até 150 kg: D45

No caso dos colchões de molas, o conforto é determinado pelo formato, quantidade e também pelo tipo de molas usadas em sua estrutura. Num colchão para casal, por exemplo, o ideal é um colchão de molas ensacadas individualmente, que diminuem o molejo e evitam que uma pessoa incomode a outra ao se movimentar durante o sono.


Afinal, mola ou espuma?

Já vimos que a durabilidade dos colchões de espuma é bem menor do que os colchões de mola. Isso acontece porque, com o tempo de uso, a espuma começa a se deformar, causando diversos incômodos e dores pelo corpo. No colchão de molas isso não acontece. Por ser mais resistente, ele se acomoda ao corpo de maneira uniforme e sem possibilidade de deformação em um curto período de tempo. Por isso, o colchão de molas pode ser considerado mais confortável que o de espuma.


Os colchões de espuma geralmente são bem mais baratos do que os colchões de mola, pois possuem uma estrutura de produção bem mais simples. Atualmente, existem vários tipos de espuma com tecnologias diferentes, como a Espuma Viscoelástica, mais conhecida como "espuma da Nasa", que se adapta perfeitamente ao corpo, devido ao seu efeito memória, entre outros.


A tecnologia dos colchões de mola, hoje em dia, também está cada vez mais avançada. A variedade de opções no mercado é grande e tem colchão para atender todas as necessidades de quem precisa dormir melhor. A estrutura em molas permite que o colchão responda com maior eficiência às diversas pressões exercidas pelo corpo, além de possibilitar a circulação de ar na parte interna do colchão, mantendo a temperatura sempre agradável, o que não é possível nos modelos 100% espuma.


Como já dissemos por aqui, os colchões de mola são mais resistentes a deformações e sua firmeza anatômica proporciona um suporte ideal para o corpo, aliviando os pontos de pressão.


Entre os tipos de mola existentes no mercado, temos:

  • Bonnell: até 90 kg (por pessoa)

  • Superlastic: até 120 kg (por pessoa)

  • LFK: até 120 kg (por pessoa)

  • Pocket ou molas ensacadas: até 140kg (por pessoa)

  • Miracoil: até 150kg (por pessoa)



Como vimos, não existe o melhor ou o pior. E mais do que entender as características de cada tipo, para escolher, você precisa primeiro experimentar. E não basta dar apenas uma apalpada no colchão na loja e parar por aí. É preciso avaliar com cuidado, testar posições, se manter deitado por pelo menos 5 ou 10 minutos para sentir como seria dormir naquele colchão por noites a fio durante anos. O colchão certo e que atenda às suas necessidades deve se tornar o seu melhor amigo nas horas de descanso, tão importantes para a saúde.



914 visualizações

Colchões

Outros reviews

Box de colchão

Travesseiros

Destaques

  • Instagram

© 2020 por Qual O Melhor Colchão